Cúpula Mundial de Hepatites

 

Durante a cerimônia de abertura do Summit Hepatites 2017, que acontece entre os dias 1 e 3 de novembro e reúne 29 países, com público formado por gestores, especialistas, organizações da sociedade civil, fabricantes de medicamentos e pesquisadores, o ministro da saúde do Brasil ratificou a inclusão dos pacientes de hepatite C com grau de fibrose 0 e 1 a partir do ano que vem.

Ele também anunciou que serão incorporados mais três DAAs no ano que vem que já foram submetidos à ANVISA e que a meta de custo para o Brasil será cerca de U$ 3 mil para todos os tratamentos.

Um ponto que causou certa polêmica, principalmente pelos comentários da plateia que seria inviável devido a legislação brasileira, é sobre a estratégia que o Brasil quer adotar, realizando o pagamento aos fabricantes de medicamentos somente após a cura do paciente.

Comentaremos mais detalhes após o final do evento, o qual já demonstra que o Brasil vem se tornando um exemplo mundial no enfrentamento das Hepatites Virais, principalmente pelas ações implementadas a partir de 2013.

Da esquerda pra direita Charles Gore, Presidente WHA, Deputado Federal Marcos Reategui e Presidente da Frente Parlamentar Mista de Hepatites Virais, Ricardo Barros, Ministro da Saúde do Brasil, Jeová Pessin Fragoso, Presidente da Ong Grupo Esperança de Santos e Adele Benzaken, Diretora do Departamento de IST, Aids e Hepatites/MS

 

 

 

 

 
 
 
©2015. Grupo Esperança – Todos os Direitos Reservados