SECRETARIAS ESTADUAL E MUNICIPAL DA SAÚDE LANÇAM CAMPANHA DE VACINAÇÃO CONTRA HEPATITE A

Fonte: http://www.saude.sp.gov.br/centro-de-referencia-e-treinamento-dstaids-sp/homepage/destaques/secretarias-estadual-e-municipal-da-saude-lancam-campanha-de-vacinacao-contra-hepatite-a

Considerando-se o aumento do número de casos de Hepatite A no município de São Paulo, as Secretarias Estadual e Municipal da Saúde em parceria com Ministério da Saúde, iniciaram no dia 28 de maio, um Projeto piloto de Ampliação da indicação de vacina Hepatite A para população vulnerável que tenha prática sexual com contato oral-anal.

A estratégia inicial é a de ofertar a vacina às populações vulneráveis, ou seja, homens que fazem sexo com homens, travestis, transexuais, profissionais do sexo. A campanha será veiculada em mídias sociais, aplicativos e em especial durante as atividades da Parada LGBT 2018.

Segundo a Coordenadoria de Vigilância em Saúde (COVISA ) do Município São Paulo e o Centro de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo (CVE) de junho até novembro de 2017, ocorreram na capital paulista 786 notificações de Hepatite A. Destes registros, 88% pertenciam ao sexo masculino, 80% entre 18 e 39 anos (média: 28 anos e mediana: 30 anos) e 41% (302) dos casos relataram contato sexual oral-anal desprotegido. Dentre os casos identificados, ocorreram 4 (quatro) casos de hepatite fulminante e 2 (dois) óbitos. No ano de 2018, foram registrados, até o momento (07 de maio de 2018), 301 novos casos de Hepatite A, sendo 80% (240) em indivíduos do sexo masculino, 70% (206) com idade entre 18 e 39 anos. Em relação à via de infecção, em 31% dos casos (92) esteve relacionada à transmissão sexual.

Para atender à atual necessidade de ampliar a indicação do uso da vacina de Hepatite A para as populações mais vulneráveis que tenham prática sexual com contato oral-anal, o Ministério da Saúde, por meio do Programa Nacional de Imunizações, está disponibilizando um quantitativo maior de vacinas para da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo.

A vacina contra hepatite A é altamente eficaz e deve ser administrada em duas doses, sendo de 0,5 mL (aproximadamente 25U) quando administrada em crianças/adolescentes (12 meses a 17 anos, 11 meses e 29 dias) e de 1,0 mL (aproximadamente 50 U) quando aplicada em adultos (= 18 anos) Eventuais efeitos adversos mais registrados como dor, eritema ou edema local ocorrem entre 20% a 50 % dos vacinados, sendo leves e transitórios. Febre e fadiga ocorrem em menos de 5% dos vacinados.

É importante ressaltar que a prevenção da Hepatite A em adultos inclui: uso de preservativo nas relações sexuais; uso de barreiras de látex durante o sexo oral-anal, luvas de látex para dedilhado ou "fisting". A higiênica pessoal e sexual, a lavagem de mãos e da região genital e anal antes e depois do ato sexual, bem como, a higienização de vibradores, plugs anais e vaginais também fazem parte das estratégias de prevenção contra Hepatite A.

Download - Briefing do Projeto Piloto: clique aqui

Inicialmente, estão sendo disponibilizadas doses suficientes para vacinar 10 mil pessoas em serviços especializados que possuem sala de vacina no município de SP (veja lista abaixo).

 
 
 
©2015. Grupo Esperança – Todos os Direitos Reservados