NOMEADO NOVO DIRETOR DO DEPARTAMENTO DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE DE INFECÇÕES SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS (IST), HIV/AIDS E HEPATITES VIRAIS – DIAVH

O novo diretor do departamento será o Médico Epidemiologista e Servidor Público Federal do Ministério da Saúde, o Dr. *Gerson Fernando Pereira*. Com sua indicação, a nova gestão da Secretaria de Vigilância em Saúde reitera a continuidade e valorização das políticas públicas, bem como o direcionamento e valorização do corpo técnico do Ministério da Saúde.

Graduado em Medicina pela Universidade Federal do Piauí (1983), Dr. Gerson se especializou em Saúde Pública pelo Centro Universitário de Brasília (1985) e em Epidemiologia pela Fundação Oswaldo Cruz (1988). Possui Mestrado em Epidemiologia pela Universidade Federal de São Paulo (1999) e Doutorado em Saúde Coletiva da UnB (1918), onde defendeu a tese com o tema: _Aids no Estado do Rio Grande do Sul: Aspectos Epidemiológicos e Sobrevida_. Gerson também é professor da faculdade de Medicina do Centro Universitário de Brasília - UNICEUB.

Ao longo de sua trajetória na Funasa e Ministério da Saúde, o Dr. Gerson atuou como técnico e gestor do setor de Dermatologia Sanitária responsável pela vigilância de Hanseníase no Brasil. Desde 2004 atua no DIAVH, ocupando diversas funções na gestão dos sistemas de informação e como Diretor Substituto do departamento.

É necessário a valorização do corpo técnico do Ministério da Saúde, com maior presença de servidores de carreira nos cargos de decisão, visando a continuidade das ações com manutenção e aprimoramento das políticas de vigilância em saúde.

A Constituição Federal de 1988 que em seu art. 37, V, determina que, no âmbito da Administração Pública, as funções de confiança sejam exercidas exclusivamente por servidores efetivos e os cargos em comissão sejam ocupados por servidores de carreira nos casos, condições e percentuais mínimos previstos em lei*. O Dr. Gerson é *servidor efetivo*.

Os desafios que devem ser enfrentados são aprofundar a cooperação com Estados e Municípios prioritariamente e estabelecer canais de cooperação e coordenação que visem melhorar a integração do DIAVH com os demais departamentos da Secretaria de Vigilância em Saúde, como a vigilância de Tuberculose e HIV. A tuberculose (TB) ativa em pessoas que vivem com HIV/Aids é a condição de maior impacto na mortalidade por Aids e por TB no país. Portanto, reforçar essas ações é uma prioridade.

A vigilância de hepatites também é um desafio importante. A garantia de fornecimento do tratamento e a busca pelo esquema terapêutico mais adequado para o perfil dos pacientes é uma prioridade, aumentando assim os índices de cura, diminuindo o tempo de tratamento, melhorando a qualidade de vida e otimizando os recursos públicos com redução de intervenções de alto custo como transplantes.

 
 
 
©2015. Grupo Esperança – Todos os Direitos Reservados