Foi aprovado e publicado no DO da União no dia de hoje, o registro do medicamento Sovaldi (Sofosbuvir)

 

Esse é o ultimo dos três fármacos que estava em analise para registro da Agencia Nacional de Vigilância Sanitária - ANVISA. Os outros dois já aprovados são o Simeprevir e o Daklinza (Dataclasvir), que assim já podem ter sua comercialização legalizada.

Esses novos medicamentos que prometem revolucionar o tratamento para os portadores da Hepatite C, que pelas graves formas evolutivas, altíssimo índice de prevalência, e tratamentos anteriores que não chegam a 40% de eficácia e que apresentam sérias reações adversas, surgem em um momento que a doença tornou-se uma das maiores preocupações de saúde pública do Brasil e do mundo. A Hepatite C é a maior causa de cirrose hepática e indicação para o transplante de fígado.

Os medicamentos citados é por dosagem exclusivamente oral, ou seja livres da injeção semanal Interferon ministrada no tratamento convencional que o paciente tem que tomar nos ambulatórios especializados da região, e que tem duração média de 24 a 48 semanas.

Os estudos científicos e os resultados apurados em outros países que já fazem uso dessa nova terapia, apontam uma eficácia na negativação da ação do vírus HCV de 90 a 100%, com redução do tempo de tratamento para 12 semanas, e a importante ausência de reações adversas, permitindo assim uma melhor adesão, fazendo com que o tratamento vá até o fim sem interrupção.

Outros aspecto relevante é o econômico, pois apesar de serem medicamentos de altíssimo custo, o Ministério da Saúde negociou a baixa dos preços inicialmente propostos pelos fabricantes, o que permitirá utilizar com a mesma verba gasta com os tratamentos atuais na dispensação pelo SUS, tratar o triplo de pacientes, podendo chegar de 30 a 40 mil doentes.

Para que os novos medicamentos cheguem aos pacientes através do SUS, precisa ser publicado pelo Ministéio da Saúde o Protocolo Clínico e de Diretrizes Terapêuticas, que pela demonstrado empenho dos técnicos desse órgão já está bem adiantado, dependendo apenas então para a finalização e decorrente publicação, de algumas tramitações de rotina como a avaliação da Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS - CONITEC.

É importante que além dos três ora aprovados, novos fármacos com similar poder de aniquilação do HCV já estão em fase bem adiantada nos estudos bem como alguns também já estão sendo analisados pela ANVISA, o que permitirá em um futuro próximo ampliar as opções dos especialistas para tratarem seus pacientes de acordo com cada quadro clínico.

Acreditamos que o acesso dos pacientes pelo SUS aconteça no mais tardar em junho ou julho desse ano, e com toda a esperança que essa terapia seja confirmada como o grande avanço da ciência rumo a eliminação do vírus da Hepatite C, um verdadeiro "divisor de águas".

Temos a certeza que a chegada de novo tratamento e a recente implantação do "JULHO AMARELO", mês que será alusivo ao enfrentamento das Hepatites Virais, foi uma feliz e oportuna coincidência que renova a esperança e enche de otimismo os mais de 2 milhões de brasileiros infectados com o HCV.

Sasudações fraternais,
Jeová Pessin Fragoso
Diretor Presidente

 
 
 
 
©2015. Grupo Esperança – Todos os Direitos Reservados