PREVENÇÃO

 

Ainda não foi desenvolvida uma vacina para a hepatite C. A prevenção é o melhor tratamento disponível.

Tenha muito cuidado ao manipular qualquer coisa que contenha sangue, tais como aparelhos de barbear, tesouras, alicates de unhas e cutículas, aparelhos de manicure e pedicuro, tampões e toalhas higiênicas, escovas de dentes, etc.

Não compartilhe seringas para aplicar-se drogas e nem aparelhos usados para aspirar ou fumar cocaína. Use sempre instrumentos esterilizados caso queira fazer tatuagens, perfurações corporais (piercings) e para acupuntura.

Use sempre camisinha na relação sexual. A transmissão sexual pode existir.  No momento do ato sexual, se existir contato com sangue devido a pequenos ferimentos em ambos os parceiros, o contágio é altamente provável. Deverá ser usada sempre a camisinha como prevenção; o sexo anal deve ser evitado, pois é comum ocorrerem pequenas feridas durante o ato.

Se os dois parceiros possuírem o vírus da hepatite C, também deverá ser usada a camisinha, pois os vírus podem ser de subtipos diferentes.

Se tiver que tratar de algum ferimento em outra pessoa use sempre luvas de borracha descartáveis; se você é portador do vírus da hepatite C, não deixe de dar esta informação a seu médico e a seu dentista.

Abaixo temos um breve resumo de alguns cuidados a serem tomados:

- Não doe órgãos, sangue, esperma ou tecidos (Escreva isto nos seus documentos),

- Não compartilhe seus artigos de uso pessoal,

- Cubra imediatamente qualquer ferida que possa ter,

- Use camisinha no ato sexual,

- Não beba álcool,

- Consulte o seu médico regularmente,

- Fale com seu médico sobre todos os medicamentos que você tomou, inclusive as ervas e os naturais,

- Se você é portador de hepatite C, vacine-se imediatamente contra as hepatites A e B.

Em termos de prevenção e qualidade de vida, um dos nossos maiores cuidados tem que ser em relação ao fígado. A maioria das pessoas sabe que o fígado atua como se fosse um filtro e que pode ser seriamente danificado pela ação do álcool. Fora isto as pessoas tem muito pouco conhecimento da complexidade deste órgão e das funções vitais que realiza.

O fígado é o maior órgão do corpo e tem um papel vital, regulando os processos orgânicos, refinando e desintoxicando tudo aquilo que comemos, respiramos e absorvemos pela pele,  e ainda converte os nutrientes dos alimentos em músculos, energia, hormônios, fatores de coagulação e fatores imunológicos. Guarda algumas vitaminas, minerais e açucares, regula os depósitos de gordura e controla o colesterol.

A bílis é produzida no fígado e ajuda a digerir os alimentos e a absorver os nutrientes; neutraliza substancias tóxicas e venenosas e metaboliza o álcool. Antes do nascimento serve para formação do sangue e ajuda também a resistir a infecções, remove as bactérias do sangue e reserva o ferro necessário ao organismo.

O fígado não nos indica que está com problemas até que o dano hepático esteja está muito avançado, e a partir deste momento ele precisa da nossa ajuda para recuperar-se; a maior qualidade do fígado é a sua capacidade de regeneração. Exemplificando, se forem retiradas três quartas partes do fígado, em poucas semanas este crescerá ao mesmo tamanho e forma, porém uma sobrecarga de trabalho no fígado fará com que as suas células fiquem danificadas e produzam cicatrizes de forma permanente. Isto é o que se conhece como Cirroses.

O álcool, as drogas e medicamentos(inclusive os de uso diário), os vírus, os contaminantes do ambiente e transtornos metabólicos podem danificar as células do fígado; em algumas pessoas até o fato de beber um copo de vinho por dia é suficiente para causar danos consideráveis.

Os inseticidas, vapores, solventes de tintas e aerossóis são captados pelos pulmões e levados para o fígado que os desintoxica e os descarrega na bílis, forçando o seu trabalho; um dos cuidados a ser tomado é lavar imediatamente qualquer produto químico que cair na pele.

Cuidar do seu fígado significa também comer uma dieta saudável, fazer exercícios e respirar muito ar puro, além de evitar coisas que possam danificar o funcionamento dele.

Eventualmente, existe a necessidade de às vezes ter que se tomar mais de um medicamento de cada vez; sempre que isto acontecer, há o risco de que um afete o outro. Uma interação de medicamentos é uma mudança no efeito de uma droga; esta mudança pode ser desejável, adversa, ou inconseqüente. Interações de drogas resultam em um aumento ou diminuem o efeito de um dos medicamentos.

Há vários modos para tentar evitar combinações com efeitos adversos; para a maioria das desordens podem ser usados vários medicamentos diferentes para tratamento, e pode ser possível selecionar alternativas às drogas interagindo.

Não tome remédio a menos que eles sejam necessários e sempre com a indicação de um médico.

Mantenha seu médico informados de todos os medicamentos que você está tomando, inclusive os naturais. Se você tem que ir a especialistas (cardiologistas, gastroenterologistas, ou reumatologista, por exemplo), você precisa ter um médico clinico (normalmente clínico geral ou o médico de família) que esteja olhando para o quadro geral de seu organismo. É importante manter este médico clinico informado de todos os medicamentos prescritos pelos outros especialistas ou dentistas.

Quando seu médico prescrever um medicamento novo, pergunte se há qualquer contra-indicação que você deveria evitar. Pergunte (e você já sabe a resposta) se você deveria reduzir ou deveria se privar de beber álcool. Seu farmacêutico também é uma boa fonte  para este tipo de informação.

Em termos de uso geral, o analgésico mais indicado para os portadores de hepatite C é o paracetamol, que controla a dor e é antipirético.

O principal cuidado que deve ser observado é a dosagem, nunca ultrapassando 4 gramas (8 comprimidos) por dia, e sempre com prescrição médica; quando em excesso ou quando combinado com álcool pode causar a morte. Doses excessivas de paracetamol podem provocam Cirroses.

O Ácido Acetilsalisílico e a dipirona e similares, muito usados pela população, são drogas analgésicas e antiinflamatórias que também podem causar danos ao fígado. Os pacientes com dano hepático devem evitar estes analgésicos, caso não possuam prescrição médica.

Em pessoas com Cirroses avançada, ascite (barriga de água) e varizes decorrentes, alguns analgésicos podem provocar hemorragias digestivas e danos permanentes aos rins, chamado de Fracasso Hepato Renal.

Não beba bebidas alcoólicas de nenhum tipo, inclusive vinhos e cervejas caso você seja portador de hepatite C; a cerveja chamada de sem álcool também contém álcool, sendo permitido por lei, conforme a legislação de cada país até um teor de 0,5 à 0,8% na sua composição.

O álcool pode aumentar replicação do vírus da hepatite C e pode produzir um dano mais severo independente do dano tóxico induzido pelo álcool; há uma correlação entre os níveis de VHC RNA no sangue e a quantidade de álcool consumido.

Pacientes alcoólicos com infecção de hepatite C têm concentrações férreas hepáticas mais altas que podem aumentar a replicação do vírus. As evidências clínicas de atividade hepática e níveis de atividade viral são significativamente  maiores com um consumo de 10g de álcool por dia.

Há risco de um desenvolvimento mais rápido de cirrose e câncer no alcoólatra com infecção crônica; o risco para o desenvolvimento de carcinoma hepatocelular em cirróticos alcoólicos é 8.3 vezes mais alto que nos outros pacientes com hepatite C.

LEMBRE-SE: A PREVENÇÃO É A MELHOR MANEIRA DE SE EVITAR A TRANSMISSÃO.

Fontes Bibliográficas: 

Evaldo Stanislau A. de Araújo - Correlação Clínico Patológica da Quantificação do RNA do VHC

Carlos Varaldo - Convivendo com a Hepatite C

Adávio de Oliveira e Silva/Laboratório Pizarro - Tratamento da Hepatite C e de suas formas evolutivas

Sociedade Brasileira de Hepatologia/Ucifarma - Hepatite C

ROCHE - Brasil - O que você precisa saber sobre hepatites

Voltar ao topo

 
 
 
 
©2015. Grupo Esperança – Todos os Direitos Reservados